Depois da visita no mês de março às áreas públicas em estado de abandono no Bairro de São José na zona leste pela vereadora Vilma Queiroz (PROS), junto ao Subsecretario de Obras, Roberto Portillo, as solicitações para as secretarias municipais de limpeza e infraestrutura da Prefeitura de Manaus foram  atendidas quanto às demandas de limpeza, pavimentação e iluminação.

As solicitações de serviço de limpeza, pavimentação e tapa buraco na Rua 4 no bairro São José 3 (próximo ao campo do Bahia) e a revitalização da iluminação do CCA Zezinho com a implantação de algumas “pétalas” (postes de iluminação) para dar maior segurança aos moradores que utilizam este espaço publico também tiveram atendimento.

O representante da comunidade do Centro Esportivo Zezinho, Paulo Nascimento agradeceu à vereadora Vilma Queiroz e disse que os moradores esperam continue com o trabalho agora na fase de reforma da estrutura do CCA Zezinho e da Praça Rosa Dourada do bairro São José III da zona leste de Manaus.

 

 

 

 

Hoje (09), foi realizada a sessão especial em homenagem à Fundação de Medicina Tropical Doutor Heitor Vieira Dourado (FMT), pelos 40 anos de sua criação. A iniciativa foi da Prof. Jaqueline (PPS) e estiveram presentes o Secretario Municipal de Saúde, Homero de Miranda Leão, o Presidente da CMM, Bosco Saraiva, vereadores e profissionais da instituição homenageada. 25 profissionais desta instituição foram reconhecidos pelo seu trabalho.

A vereadora Vilma Queiroz (PROS), parabenizou os profissionais e destacou sua contribuição na área de medicina tropical e disse que “são profissionais de referência para os países da América Latina e do mundo”, assim como também salientou o trabalho na área de pesquisa.

A Dra. Graça Alecrim da FMT disse, em seu discurso, sentir- se muito feliz da homenagem e do relato histórico, destacou os cursos de hepatologia e o de multi-professional, dentre outros que estão se realizando sempre na formação dos recursos humanos. “A FMT é referencia internacional e nossa obrigação é controlar as epidemias na região amazônica como a malária e especialmente o HIV Aids, a que tem preocupado mais é esta ultima porque as pessoas com tratamento podem viver uns dez ou vinte anos’, salientou.

Read more...

O Projeto de Lei (410/2013) que inclui no calendário oficial do município de Manaus a Semana de Gastronomia Orgânica da Amazônia, Vegetarianismo e Sustentabilidade, deve ser comemorado anualmente no mês de outubro, foi aprovado em plenário hoje (08), e foi à 3ª Comissão de Finanças, Economia e Orçamento.

A finalidade do projeto de Lei é promover o consumo de alimentos orgânicos evitando aqueles geneticamente modificados com o objetivo de proteger a saúde da população. Segundo informes de saúde da Environmental Working Group, as crianças são os mais vulneráveis da agricultura com agrotóxicos que provocam câncer. O estudo chama à atenção para a preservação do trabalhador rural, assim como a qualidade dos alimentos. A autora é a Vereadora Vilma Queiroz (PROS).

Quando adquirimos produtos ecológicos contribuímos para a redução da migração de famílias para as cidades, evitamos o êxodo rural, além de frear o envenenamento por agrotóxicos que atinge a mais de um milhão de agricultores no mundo.

De acordo com a vereadora Vilma Queiroz, a Semana de Gastronomia da Amazônia – Vegetarianismo e Sustentabilidade, tem a proposta de trazer informações sobre toda a cadeia alimentar orgânica desde a produção até sua chegada na mesa do consumidor, mostrando alternativas para melhorar a qualidade de vida da população.

 

 

De acordo com boletim informativo da Organização Panamericana e Mundial da Saúde (OPS/OMS) pelo Dia Mundial da Saúde (7 de abril) o destaque é para as doenças transmitidas por vetores que são aquelas doenças infecciosas propagadas por alguns organismos, como por exemplo, insetos e moluscos, que transportam vírus, parasitas e bactérias aos humanos. Estas doenças representam uma taxa elevada de mortalidade para as pessoas, suas famílias e as comunidades, especialmente nos países mais pobres, causando abstinência escolar, incrementando a pobreza, um impacto negativo na produtividade econômica, e altos custos e a sobrecarga do sistema de saúde dos países.

As doenças transmitidas por vetores têm maior impacto na Região das Américas e as doenças mais impactantes são a malária, dengue, doença de chagas, leishmanioses, filariasis linfática, esquistossomoses e a cegueira por tracoma. As doenças transmitidas por vetores são o tema central do Dia Mundial da Saúde 2014, evento que celebrada todo dia 7 de abril. Nas Américas, aproximadamente 106 milhões de pessoas em 21 países vivem em áreas que se encontram em risco de padecer com malária/paludismo transmitido pela picada do mosquito Anopheles nas suas diversas espécies, e quase toda a população da Região, 35 países, com exceção do Canadá e Chile continental, convivem com o mosquito Aedes aegypti, capaz de transmitir o vírus da dengue, Chikungunya e febre amarela.

A mosca Lutzomyia nas suas diferentes espécies é o principal vetor para a transmissão da leishmanioses. Da mesma forma, a filariasis linfática é transmitida a través dos mosquitos do gênero Culex, enquanto que outras como a triatominos (barbeiros) tais como R. prolixus y T. dimidiata são responsáveis principais da transmissão da doença de Chagas. Assim são os moluscos do gênero Biomphalaria que são os principais hospedeiros intermediários da esquistossomoses.

Aproximadamente 13 milhões de pessoas estão em risco de sofrer uma infecção por filarioses linfática (elefantioses) que desde 2001 até 2011 já atingiu 700.000 casos reportados de leishmanioses e que 1,6 milhões de pessoas precisam de tratamento para a esquistossomoses, principalmente no Brasil e Venezuela. A doença do Chagas infecta milhões de pessoas anualmente ocasionando 28.000 casos novos por ano, em 2010 seis milhões de pessoas padeciam esta doença. A dengue é um exemplo de doença transmitida por vetor de grande relevância, negativa em termos de saúde pública e impacto econômico.

Read more...

vilma_whatsapp.png